Novo Centro garante maior segurança e agilidade no tráfego de navios do Porto de Santos


Com a inauguração do novo Centro de Coordenação, Comunicações e Operações de Tráfego (C3OT), nesta segunda-feira, dia 15 de setembro, a Praticagem de São Paulo pretende garantir ainda mais agilidade e segurança nas manobras dos navios no Porto de Santos. Câmeras estrategicamente situadas ao longo de todo o canal do Porto, equipamentos de última geração para medição de ondas, profundidade e visibilidade e tecnologia capaz de fornecer informações em tempo real permitirão o monitoramento, com absoluta precisão, de todo o canal navegável do porto santista, com seus 20 quilômetros e 67 terminais e berços de atracação.
A necessidade de implantar o novo Centro de Operações surgiu da nova realidade do porto de Santos, como explica o presidente da Praticagem, Paulo Sérgio Barbosa: “Os navios estão cada vez maiores, com dimensões praticamente dobradas nos últimos 13 anos. Mas as condições geográficas do porto não mudaram: o canal continua estreito e sinuoso”.
O sistema já existe em outros portos modernos do mundo, mas é implantado e mantido pela autoridade portuária. Em alguns casos, as praticagens comandam o serviço, mas a Praticagem de Santos será a primeira a possuir esse equipamento, considerado o mais atualizado.
Para aumentar a segurança num canal que compartilha o tráfego de balsas, iates e barcos de pesca e um intenso movimento de navios foram posicionadas doze câmeras que cobrem todo o canal. Com isso, pode-se agora monitorar o navio em todo o seu trajeto, com recursos de zoom com capacidade de detalhar eventuais ocorrências.
As imagens são transmitidas em tempo real para o Centro de Coordenação, Comunicações e Operações de Tráfego, que tem um vídeo-wall equipado com dez telas de LCD de 46 polegadas. Qualquer emergência será avisada imediatamente ao prático pelo rádio.
Para avaliar as condições do mar e a meteorologia, há novos equipamentos oceanográficos. Uma onda mais forte ou uma ressaca, por exemplo, modifica as condições do mar e os novos aparelhos vão mostrar a situação exata em tempo real. A altura das marés será avaliada também em tempo real, a partir de cinco estações instaladas na Ilha das Palmas, Praticagem, Capitania, Ilha Barnabé e Usiminas.
A praticagem conta agora também com visibilímetros capazes de prevenir situações de baixa visibilidade, como a formação repentina de nevoeiros, que podem comprometer a segurança da navegação
Todas as lanchas da Praticagem estão equipadas com AIS e câmeras e uma delas fará o monitoramento constante da área, informando o Centro por rádio sobre qualquer anomalia, como navio atracado com cabos brandos, manchas de óleo ou obstáculos à navegação.
SALA DE CRISE
Toda essa capacidade de monitoramento será colocada à disposição da cidade de Santos e do porto, em situações de emergência. O Centro dispõe também de uma sala de crise para reunir gerentes, diretores e autoridades marítima e portuária em que todas as informações e imagens disponíveis serão fornecidas para auxiliar a tomada de decisões.
A PRATICAGEM
Responsável pela manobra dos navios nos portos de Santos e São Sebastião, a contribuição da Praticagem de São Paulo tem sido fundamental para a quebra constante dos recordes de exportação nesses dois portos. Legalmente, os práticos devem manter uma atalaia apenas para a escalação dos práticos e lanchas que os transportam para as manobras. Na prática, porém, têm realizado altos investimentos para garantir maior agilidade no trabalho de coordenação do tráfego.
A Praticagem de São Paulo realiza 12 mil manobras por ano e sua estrutura conta agora com o moderno Centro de Coordenação, Comunicações e Operações de Tráfego, equipado com a mais moderna tecnologia disponível. Essas atividades têm o suporte de cem funcionários, estaleiro e 18 embarcações. Funciona 24 horas por dias durante os 365 dias do ano. Toda estrutura é mantida para atender 120 manobras diárias, o que é uma garantia para o setor portuário de que nenhum navio deixará de ser manobrado, mesmo no pico máximo. A média diária atual é de 32 manobras.
MAIS CARGA, MENOS E MAIORES NAVIOS
Até o ano 2000, a predominância dos navios que operaram no cais santista era de navios que tinham arqueação entre 10 e 20 mil toneladas. Eram embarcações consideradas grandes, com 160 metros de comprimento e 25 metros de largura. Treze anos depois, esse quadro mudou radicalmente: e, em 2013 o crescimento das manobras de navios com arqueação de mais de 50 mil toneladas disparou, atingindo 2.900 embarcações.
A dimensão dos navios praticamente dobrou, atingindo até 336 metros de comprimento. É como se fosse acrescido às antigas embarcações o comprimento de um campo de futebol padrão Fifa. Esse crescimento não foi acompanhado pelas condições do canal de navegação, que se mantêm praticamente inalterado, e ainda com maior estreitamento em alguns trechos.
A conjunção navios muito maiores em um mesmo canal estreito obriga o prático a trabalhar em situação maior de risco e com perícia absoluta, para garantir que o tráfego aconteça com segurança e agilidade.
Resultado: em 13 anos registrou-se aumento de 331% nos contêineres movimentados, 165% na carga geral, embora o número de escalas tenha se elevado em apenas 62% no período.
Ainda mais significativa é a variação observada nos últimos cinco anos. De 2009 para 2013, houve elevação de 50% no número de contêineres, aumento de 37% na tonelagem e redução de 10% no número de navios.
A inauguração do atual Centro de Coordenação, Comunicações e Operações de Tráfego da Praticagem de São Paulo integra o esforço histórico da Praticagem de São Paulo para superar barreiras que possam prejudicar o tráfego no mais importante porto do País.

Voltar

Comentar

Enviar para amigos





Enviar para amigos

Imprimir

Assine nossa Newsletter

   Cadastrar meu e-mail   Descadastrar meu e-mail

Av. Pedroso de Moraes, 631/conj.111 | São Paulo | Brasil | CEP 05419-000 | 55 11 3814-4600 | escritorio@lufernandes.com.br