Sanofi-aventis lança DePURA, suplemento de vitamina D


Fonte: Portal Fator Brasil - RJ

Cerca de 1 bilhão de pessoas no mundo apresenta deficiência de vitamina D1. Um levantamento realizado no Brasil mostrou que 99,3% da população brasileira ingerem a vitamina D em níveis abaixo da recomendação2.

A deficiência de vitamina D, que é também conhecida como a “vitamina do sol”, prejudica a absorção de cálcio pelo organismo, mineral importante para a saúde dos ossos3,4,5.

Uma das formas de combater a deficiência de vitamina D é por meio da suplementação.

A sanofi-aventis acaba de lançar no mercado DePURA, um suplemento de vitamina D3 (colecalciferol), micronutriente essencial para a formação e manutenção da saúde dos ossos. Cada gota de DePURA contém 200 UI de vitamina D3. DePURA pode ser utilizado por diabéticos, pois não contém açúcar, e está disponível em duas apresentações 10 e 20 mL.

sanofi-aventis – No Brasil, o Grupo sanofi-aventis (sanofi-aventis + Medley) é líder do mercado farmacêutico. A sanofi-aventis é uma empresa diversificada em saúde que conta com amplo portfólio de produtos para atender os pacientes, com medicamentos inovadores, tradicionais, OTC (medicamentos isentos de prescrição médica), genéricos e uma completa linha de vacinas, por meio de sua Divisão de Vacinas, Sanofi Pasteur. [www.sanofi-aventis.com.br].

Referências: 1. Holick MF. Vitamin D deficiency. N Engl J Méd. 2007 Jul; 357(3):266-81. | 2. Unger et al. Vitamin D status in a sunny country: Where has the sun gone? Clin Nutr 29 2010; 784-788. Brazos. | 3. Holick MF. Vitamin D deficiency. N Engl J Med 2007;357:266-81. | 4. Holick MF. Sunlight and vitamin D for bone health and prevention of autoimmune diseases, cancers, and cardiovascular disease. AM J Clin Nutr 2004;80(suppl): 1678S-88S. | 5. Institute of Medicine, Food and Nutrition Board. Dietary Reference Intakes: Calcium, Phosphorus, Magnesium, Vitamin D and Fluoride. National Academy Press, Washington, DC, 1999.

A Vitamina D: A vitamina da moda ou vitamina essencial? Estudos científicos mostram que a vitamina D está muito longe de ser apenas mais uma vitamina da moda. Ao contrário, a vitamina D, conhecida como “vitamina do sol” é essencial para a formação e manutenção da saúde dos ossos.

A deficiência de vitamina D no organismo é mais comum do que se imagina. No mundo, cerca de 1 bilhão de pessoas apresenta níveis baixos de vitamina D1. Um levantamento realizado no Brasil mostrou que 99,3% da população brasileira ingerem a vitamina D em níveis abaixo da recomendação2.

O fato de viver em uma área ensolarada a maior parte do ano nem sempre é suficiente para obter níveis adequados de vitamina D. “As maiores quantidades de vitamina D são obtidas pela exposição da pele aos raios solares, mas há vários fatores que influenciam a capacidade de produção de vitamina D pela pele, como roupas que cobrem todo o corpo, envelhecimento, estação do ano, o fato de ficar muito tempo em locais fechados, entre outros”, explica a Dra. Vera Szejnfeld, professora Adjunta da Disciplina de Reumatologia da Unifesp e coordenadora do Setor de Osteometabolismo da Disciplina de Reumatologia.

Essa conclusão deu-se por meio de outro estudo também feito pela USP. Para realizar essa pesquisa foi avaliada a prevalência de hipovitaminose D em voluntários saudáveis, com faixa etária entre 18 e 90 anos. O estudo, que foi dividido em duas etapas, constatou que no final do inverno o índice de deficiência de vitamina D foi de 77,4% e na segunda, ao final do verão, caiu para 37%. Para os pesquisadores essa taxa foi considerada inesperada.

Uma das formas de combater a deficiência de vitamina D é por meio da suplementação. Pensando nisso, a sanofi-aventis acaba de lançar o DePURA, um suplemento de vitamina D3 (colecalciferol), micronutriente essencial para a formação e manutenção da saúde dos ossos. Cada gota de DePURA contém 200 UI de vitamina D3 . O suplemento pode ser utilizado por diabéticos, pois não contém açúcar, e está disponível em duas apresentações 10 e 20 ml.

O que é a vitamina D? A vitamina D (colecalciferol) é uma vitamina lipossolúvel, encontrada sob duas formas: .vitamina D2 (ergocalciferol) |. vitamina D3 (colecalciferol).

As principais fontes de Vitamina D: Vitamina D3: (colecalciferol): É a única vitamina que o próprio corpo humano é capaz de produzir por meio da exposição aos raios solares.1,2,3. Vitamina D2: (ergocalciferol): Está presente em vegetais e em alguns peixes, como o salmão, a cavalinha, a sardinha e no óleo de fígado de bacalhau. A gema de ovo também contém pequena quantidade de vitamina D3,4,5,6.

Até pouco tempo atrás, acreditava-se que a vitamina D2 e a vitamina D3 fossem equivalentes. Porém, um artigo publicado em dezembro de 2010 no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, Heaney et al, concluiu que, em doses equivalentes, a vitamina D3 é 87% mais potente que a vitamina D2 para o aumento e manutenção dos níveis de vitamina D no sangue7.

Poucos alimentos contêm vitamina D. Garantir níveis adequados de vitamina D pela alimentação é muito difícil. A principal forma de obter essa vitamina é por meio da exposição ao sol.
Fonte……………………………….. Porção…………………………….Quantidade de Vitamina D*
Salmão fresco………………… 100g………………………………. 600 – 1.000 UI vit. D3
Salmão em conserva……. 100g………………………………..100 – 250 UI vit. D3 ou D2
Sardinha em lata …………..100g………………………………..300 – 600 UI vit. D3
Atum em lata…………… 100g…………………………………….. 300 UI vit. D3
Óleo de fígado de bacalhau… 1 colher de chá ……..400-1000 UI vit. D2
Gema de ovo…………….. 1 gema………………………………….20 UI vit. D2 ou D3
Exposição ao sol** …..5 a 10 minutos…………………… 3.000 UI vit. D3

* Cada unidade internacional (UI) de vitamina D corresponde a 40 ?g.**Braços e pernas, sem protetor solar, entre 5 a 10 minutos, dependendo do período do dia, estação do ano, latitude e cor da pele. Adaptado de Holick MF, New England Journal of Medicine, 20074.

Como a vitamina D é produzida pelo organismo? A exposição aos raios solares leva o organismo a produzir a vitamina D1,2,3. Alguns fatores, como horário, cor da pele, idade e localização geográfica, influenciam na capacidade de sintetizar vitamina D pela exposição ao sol5. Durante a exposição, a radiação UVB transforma uma substância chamada de 7-DHC, presente na derme e na epiderme (camadas que recobrem a pele), em pré-vitamina D3 5,7,9,10. Por meio de um processo específico, a prévitamina D3 é imediatamente transformada em vitamina D3, que é armazenada e liberada pelas células de gordura 5,7,9,10.

Ao chegar ao fígado, a vitamina D3 é transformada em 25-hidroxivitamina D (25(OH)D), forma inativa da vitamina D, que será transformada, desta vez nos rins, em sua forma ativa, a 1,25-dihidroxivitamina D5,7,9,10.

Como a Vitamina D atua no organismo? A principal função da vitamina D é auxiliar o organismo na absorção do cálcio, mineral responsável pela formação e manutenção da saúde dos ossos1,2,3. Por que em um país ensolarado como o Brasil há deficiência de Vitamina D?

Antes, acreditava-se que a deficiência de vitamina D fosse pouco comum em áreas equatoriais e regiões de baixa latitude. Entretanto, vários estudos vêm demonstrando que a deficiência de vitamina D é ampla e afeta todos continentes, faixas etárias e classes socioeconômicas12.

Em um estudo realizado em São Paulo e recentemente publicado no Clinical Nutrition, pesquisadores da Universidade de São Paulo avaliaram a prevalência de hipovitaminose D entre voluntários sadios com idade entre 18 e 90 anos. Na primeira fase do estudo, ao final do inverno, o índice de deficiência de vitamina D foi de 77,4%13.

Já na segunda etapa do estudo, ao final do verão, esse índice caiu para 37%. Mesmo assim, a taxa foi considerada inesperada pelos pesquisadores.

Algumas conclusões desse estudo13: . Existe alta prevalência de hipovitaminose D, pelo menos na região urbana de São Paulo, e não está restrita apenas a crianças e idosos |.O fato de viver em uma área ensolarada a maior parte do ano não é suficiente para obter níveis adequados de vitamina D . A ingestão de vitamina D por meio de dieta alimentar é baixa.

Fatores que interferem na produção de Vitamina D: As maiores quantidades de vitamina D são obtidas pela exposição da pele aos raios solares. Porém, vários fatores influenciam a capacidade de produção de vitamina D pela pele.

Uso de Protetor Solar: Calma, calma! Ninguém está desaconselhando o uso de filtro solar. Ao contrário. Mas, quando se trata de produção de vitamina D, o filtro absorve os raios UVA e UVB e reduz em 95% a capacidade da pele de produzir essa vitamina. Na teoria, o ideal seria expor braços e pernas, sem protetor solar, por 5 a 30 minutos, entre 10h00 e 15h00, duas vezes por semana, para buscar manter níveis adequados de vitamina D, dependendo da estação climática, latitude e pigmentação da pele. Porém, devido aos sérios danos que o sol pode causar à pele, a prática não é recomendada pela maioria dos médicos.

Cor da pele: A melanina, pigmento que dá cor à pele, funciona como um protetor solar natural, pois absorve os raios ultravioletas. Quanto mais escura for a pele de uma pessoa, maior será sua necessidade de exposição aos raios solares, para sintetizar a mesma quantidade de vitamina D que uma pessoa de pele clara5.

Roupas: Para um melhor aproveitamento dos raios solares, é necessário que braços e pernas estejam expostos. Em países ensolarados, mas cuja a tradição impõe, o uso de roupas que cobrem quase todo o corpo, como Arábia Saudita, Catar, Emirados Árabes e Índia, a incidência de hipovitaminose D é extremamente comum9.

Envelhecimento: Com o envelhecimento, a quantidade de 7-DHC presente na epiderme, substância fundamental para a produção da vitamina D, começa a diminuir. Assim, uma pessoa de 70 anos consegue sintetizar apenas 25% da quantidade dessa substância em comparação a uma pessoa de 20 anos de idade, com o mesmo tempo de exposição aos raios solares5.

A prevalência de hipovitaminose D é maior em idosos e pessoas de pele escura. Nos Estados Unidos e na Europa, pelo menos 40% dos idosos vivendo em asilos e casas de repouso têm deficiência de vitamina D.

Período do dia, estação do ano e latitude são fatores que também influenciam muito a produção de vitamina D3. O motivo é que, durante o inverno, em função da inclinação da terra e de sua proximidade ao sol, os raios solares ficam em ângulo mais oblíquo e os raios UVB são mais eficientemente absorvidos pela camada de ozônio.

Em latitudes acima de 37º (hemisfério Norte), entre os meses de novembro a fevereiro, ocorre redução dos raios UVB sobre a superfície da terra. Essa redução varia entre 80% e 100%, de acordo com a latitude. Abaixo de 37º e próximo à linha do Equador, ocorre maior síntese de vitamina D3 na pele. O mesmo acontece no início da manhã ou ao final da tarde, quando o ângulo dos raios solares é tão oblíquo que pouca vitamina D3 é produzida na pele, mesmo no verão.

Outras causas que levam à deficiência de vitamina D4: . Má absorção: Redução da absorção de vitamina D causada por doenças como fibrose cística, doença celíaca, doença de Whipple, doença de Crohn, cirurgia de revascularização, remédios para redução do colesterol, etc.

. Obesidade: Células de gordura podem não liberar a vitamina D nelas armazenadas. | . Medicamentos, como anticonvulsivantes, glicocorticoides, medicamentos para o tratamento da AIDS, etc. .Comprometimento hepático | .Doença renal crônica

Hábitos culturais, estilo de vida e a poluição são fatores que podem dificultar a produção de níveis desejáveis de vitamina D pela pele12. O excesso de urbanização levou as pessoas a ficar boa parte do tempo em locais fechados, o que prejudica a produção de vitamina D. Os médicos alertam que as crianças de hoje, que vivem muito tempo em ambientes fechados, devido à deficiência de vitamina D, têm risco aumentado de vir a desenvolver problemas de saúde.

Mitos e Verdades sobre a Vitamina D: Ainda persistem vários mitos, lendas e histórias relacionadas ao uso da vitamina D. Alguns deles têm um fundo de verdade e, por isso, fazem sentido.

O que de fato é verdade e mito sobre a “vitamina do sol”:

Mito………………………………………………………………………………………….. Verdade

[mito] A principal fonte de vitamina D é a alimentação. | [verdade] A luz solar é a principal fonte que ajuda na síntese e produção de vitamina D. | [mito] No Brasil, o país do sol, a população não tem deficiência de vitamina D.| [verdade] Estudos mostram que a deficiência de vitamina D é ampla e afeta todos continentes, faixas etárias e classes socioeconômicas. O fato das pessoas ficarem muito tempo em locais fechados prejudica a produção de vitamina D. [mito] A suplementação com vitamina D pode causar intoxicação. | [verdade] A toxicidade da suplementação de vitamina D é rara e consiste de hipercalcemia aguda, que geralmente é resultado de doses que excedem 10000UI ao dia.Doses diárias de até 4000UI, em longo prazo, têm se mostrado seguras14.

Como medir os níveis de vitamina D nas pessoas? Um simples exame, chamado de 25-hidroxivitamina-D ou 25(OH)D10, mede a concentração de vitamina D no organismo. Quais as consequências da deficiência de Vitamina D? Se o organismo tem deficiência de vitamina D, consequentemente, o cálcio não será absorvido de forma adequada, o que, por sua vez, prejudicará a formação e manutenção da saúde dos ossos. Estima-se que, sem vitamina D, somente 10 a 15% do cálcio ingerido são absorvidos pelo corpo humano4.

Como combater a deficiência de vitamina D? A principal forma de combater a carência de vitamina D é se expor aos raios solares, entre 5 a 30 minutos, entre 10h00 e 15h00, duas vezes por semana, para buscar manter níveis adequados dessa vitamina no sangue, dependendo da estação climática, latitude e pigmentação da pele4. Mas, devido aos sérios danos que o sol pode causar à pele, a prática não é recomendada pela maioria dos médicos. Existem algumas dicas que podem ajudar na produção de vitamina D estimulada pelo sol, principalmente para os jovens. São elas: . Não é necessário tomar sol de biquíni/sunga durante horas para estimular a produção de vitamina D. Medidas simples e frequentes já ajudam a driblar a deficiência dessa vitamina no organismo.

. Ao praticar qualquer tipo de atividade externa, como passear com o cachorro, ir à padaria ou lavar o quintal, procure usar roupas que deixem os braços e pernas expostos. Se a atividade for diária, durar em torno de 15 minutos, antes das 10 horas e depois das 16h00, e o sol estiver brilhando, os níveis de vitamina D do seu organismo vão agradecer.

Porém, com a correria do dia-a-dia, com os inúmeros compromissos e a crescente urbanização, que levam as pessoas a passar a maior parte do tempo em locais fechados, muitas vezes é difícil sobrar tempo para tomar sol da forma adequada e conseguir produzir a vitamina D.

Sendo assim, a melhor forma de repor a vitamina D é por meio da suplementação. Lançamento DePURA: A vitamima D da sanofi-aventis A sanofi-aventis acaba de lançar no mercado DePURA, um suplemento de vitamina D3 (colecalciferol), micronutriente essencial para a formação e manutenção da saúde dos ossos.

Cada gota de DePURA contém 200 UI de vitamina D3. DePURA pode ser utilizado por diabéticos, pois não contém açúcar, e está disponível em duas apresentações 10 e 20 mL. Dica: A vitamina D se decompõe facilmente, por isso deve ser conservada em sua embalagem original em local fresco e seco, ao abrigo da luz e umidade. Por ser lipossolúvel, recomenda-se não misturar a vitamina D em outros líquidos.

1. DeLuca HF, et al. Mechanisms and functions of vitamin D. Nutr Rev. 1998;56:S4-10. | 2. Reichel H, et al. The role of vitamin D endocrine system in health and disease. N Engl J Med. 1989 Apr;320(15):980-91. | 3. Kulie T, et al. Vitamin D: an evidence-based review. J Am Board Fam Med. 2009 Nov-Dec;22(6):698-706. | 4. Holick MF. Vitamin D deficiency. N Engl J Med. 2007 Jul;357(3):266-81. | 5. Holick MF. Sunlight and vitamin D for bone health and prevention of autoimmune diseases, cancers, and cardiovascular disease. Am J Clin Nutr. 2004 Dec;80(6 Suppl):1678S-88S. | 6. Institute of Medicine, Food and Nutrition Board. Dietary Reference Intakes: Calcium, Phosphorus, Magnesium, Vitamin D and Fluoride. Washington, DC: National Academy Press; 1999. | 7. Heaney RP, et al. Vitamin D3 is more potent than vitamin D2 in humans. J Clin Endocrinol Metab. 2010 Dec. 22 [Epub ahead of print]. | 8. Dawson-Hughes B, et al. IOF position statement: vitamin D recommendations for older adults. Osteoporosis Int. 2010 April;21:1151-4. | 9. Holick MF. Vitamin D and health: evolution, biologic functions, and recommended dietary intakes for vitamin D. Clinic Rev Bone Miner Metab. 2009 Apr;7:2-19. | 10. DeLucca HF. Overview of general physiologic features and functions of vitamin D. Am J Clin Nutr. 2004;80 Suppl:1689S–96S. | 11. Gilchrest BA. Sun exposure and vitamin D sufficiency. Am J Clin Nutr. 2008 Aug;88(2):570S-577S. | 12. Unger et al. Vitamin D status in a sunny country: Where has the sun gone?Clin Nutr. 2010 Dec;29(6):784-8. | 13. Pinheiro MM, et al. Clinical risk factors for osteoporotic fractures in Brazilian women and men: the Brazilian Osteoporosis Study (BRAZOS). Osteoporosis | Int. 2009 Mar;20(3):399-408. | 14. Rosen CJ. Vitamin D Insufficiency. N Engl J Med 2011;364:248-54.

Voltar

Comentar

Enviar para amigos





Enviar para amigos

Imprimir

Assine nossa Newsletter

   Cadastrar meu e-mail   Descadastrar meu e-mail

Av. Pedroso de Moraes, 631/conj.111 | São Paulo | Brasil | CEP 05419-000 | 55 11 3814-4600 | escritorio@lufernandes.com.br